Site Loader


Você sabe o que é Big Data?

“Big Data” é um conceito que está connosco desde há muito tempo – nomeadamente no contexto de projetos científicos e de pesquisa nos quais eram criados grandes volumes de dados num curto espaço de tempo.
O termo é usado para descrever dados – sejam ou não estruturados – que são tão maciços que a sua recolha, armazenamento, análise, partilha e replicação (esta última, necessária para requisitos de redundância) se torna um desafio. Os sistemas que manipulam Big Data incorporam centenas ou até milhares de processadores, infraestruturas de rede de alta velocidade e grandes sistemas de armazenamento com discos rígidos de classe empresarial de elevada capacidade, projetados para empresas convencionais mas

também para ambientes de cloud e computação de alta escalabilidade.

No mundo de hoje, Big Data é criada globalmente a partir de múltiplas fontes: grandes projetos científicos como o LHC criam e gerem cerca de 15 petabytes ou redes sociais como o Facebook trabalham com bases de dados que têm mais de 50 mil milhões de fotografias
Apesar destes desafios serem significativos, as oportunidades que a Big Data apresenta são também entusiasmantes. Dependendo da ênfase de um projeto, os dados podem ser analisados de forma a deles extrair resultados conclusivos. Imagine-se um retalhista online que tem acesso à sua própria Big Data – esta organização pode analisar os dados para encontrar tendências, identificar comportamentos dos clientes, analisar preços e até potencialmente criar publicidade que seja mais relevante.
A título de exemplo a Walmart tem vindo nos últimos tempos a trabalhar intensivamente com Big Data de forma a melhor compreender os seus clientes e oferecer-lhes produtos mais relevantes através de apps para smartphones.
Comparativamente com os dados tradicionais e estruturados que podem ser encontrados numa base de dados relacional, a Big Data encontra-se muitas vezes armazenada de forma não-estruturada. A razão é que enquanto uma base de dados tradicional poderá apenas ser capaz de armazenar e analisar uma gama limitada de dados, tais como números ou datas, por exemplo, a Big Data compreende vários conjuntos de dados tais como texto, vídeo, áudio, dados provenientes de sensores, ficheiros de registo (“logs”), etc. Quando todos estes conjuntos de dados são analisados, oferecem o tipo de conhecimento pelo qual estas instituições anseiam.
Fonte: Computerworld.


Post Author: Akurat

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *