Site Loader

Quality Software vai ao Bovespa Mais

A
Quality Software será a próxima empresa da carteira do Banco Nacional de
Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a listar ações no Bovespa Mais, o
mercado de acesso da bolsa paulista. A empresa planeja iniciar o processo na
Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nos próximos dias. O caminho escolhido
será o mesmo da Senior Solution – a Quality fará primeiro a listagem e, futuramente,
uma oferta de ações.
“Queremos
estar prontos para fazer a captação assim que identificarmos o melhor momento
do mercado”, disse Julio Britto Junior, diretor-presidente da Quality e
que passará a acumular a função de diretor de relações com investidores da
empresa.

O executivo disse que o valor da operação dependerá também do momento que a
empresa vive.

A Quality
foi fundada em 1989 e é especializada em terceirização de projetos e


implantação de equipamentos, softwares e sistemas, como bancos de dados, redes
locais, de longa distância e privativas virtuais, entre outros.

A entrada do
BNDES no capital da companhia aconteceu em 2008. O banco fez um aporte de R$
6,8 milhões e ficou com 27% de participação na empresa. “Naquele momento
pensávamos no crescimento do negócio e na profissionalização e também criar
mecanismos de liquidez para buscar novos recursos”, disse Britto Junior. A
associação ao banco trouxe processo decisório e o dinheiro para buscar a
certificação de qualidade necessária para atrair clientes de maior porte.

Quando o BNDES passou a fazer parte da companhia, o faturamento da Quality, que
na ocasião era de R$ 14,659 milhões, passou para R$ 25 milhões em 2012, um
incremento de 70% no período. Nos últimos três anos, a companhia apresentou
lucro e, ainda de acordo com o executivo, o crescimento anual da tem alcançado
dois dígitos.

Britto
Junior disse que a proposta da Quality é se concentrar no atendimento de
empresas de médio porte, um universo que pode atingir 16 mil companhias, por
seus cálculos.
Segundo o
executivo, a maioria dessas empresas é atendida na parte de tecnologia da
informação por equipes internas, sem ganho de escala ou um processo
profissional de TI. Algumas fecham negócios com companhias terceirizadas, que
têm escala, mas sem grande diferencial de TI, o que a Quality procura oferecer.

“As equipes internas são, hoje, nossas principais concorrentes e nossa
maior perspectiva de crescimento”, disse Britto Junior.

A companhia
também pretende buscar aquisições, concentradas em empresas que possam ampliar
a carteira de produtos e serviços que já oferece.
Por Ana
Paula Ragazzi
Valor
Econômico Fonte: clipping 21/05/2013


Post Author: Akurat

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *